Jane Eyre, por Charlotte Brontë

30 setembro 2013

Jane Eyre, por Charlotte Brontë
444 páginas (E-book)
Jane Eyre narra, além de uma comovente história de amor, a saga de uma jovem em busca de uma vida mais rica do que a sociedade inglesa do século XIX tradicionalmente permitia às mulheres. Publicado originalmente em 1847, o primeiro romance de Charlotte Brontë inspirou adaptações para o cinema e a televisão.

Jane Eyre perdeu pai e mãe muito cedo, amparada pelo tio Reed ela ganha uma nova família. Mas o tio morre e Jane fica sob os cuidados da Sra. Reed, o problema é que a tia não queria esse fardo, para ela Jane não passa de uma criança mal educada, e os filhos dela – Georgina, John e Eliza – não tratam a pequena órfã melhor, principalmente John que espera que Jane lhe faça todas as suas vontades e quando não faz apanha. Nem mesmo Bessie, a babá, lhe protege. Jane passa um pesadelo em Gateshead Hall, principalmente quando sua tia lhe tranca no quarto vermelho, o quarto onde seu tio morreu e que ela jura ter visto um fantasma o que a deixa doente por alguns dias. Depois daquela noite ela passa a responder a tia sem medo.

- Como ouso, Sra. Reed? Como ouso? Porque é verdade. A senhora pensa que eu não tenho sentimentos, e que posso passar sem um pouco de amor ou bondade; mas não posso viver assim, e a senhora não tem piedade. Eu me lembrarei de como a senhora me empurrou – me empurrou rude e violentamente – para dentro do quarto vermelho, e me trancou lá até o dia de minha morte, embora eu sofresse agonias, embora eu gritasse, sufocando de desespero: “Tenha piedade! Tenha piedade, Tia Reed!” E a senhora me fez sofrer esse castigo porque o seu perverso filho me bateu... me derrubou por nada. Direi a quem quer que me faça perguntas essa história exata. As pessoas a julgam uma boa mulher, mas a senhora é má, tem coração duro. A senhora é que é mentirosa.

A tia Reed para se livrar da sobrinha indesejada a manda para Lowood Fell, um internato de caridade para meninas que perderam os pais. Lá Jane passa oito anos, aprendendo a ter bons modos e a ser uma boa moça, além dos estudos. Ela conhece Helen Burns, e se tornam grandes amigas, além das senhoras que cuidam dela na instituição, mas todas as meninas ficam doentes, incluído Helen que morre. Jane passa dois anos como professora, até que um dia ela decide que quer uma mudança em sua vida e escreve uma carta em busca de uma nova ocupação. Ela recebe uma resposta da Sra. Fairfax, a governanta, para trabalhar em Thornfield Hall como professora de Adela a protegida do Sr. Rochester.
Jane parte para Millcote, rumo a Thornfield onde é tratada como visita. Ela logo se apega a menininha e a nova casa. A única estranheza é a Grace Poole uma mulher que trabalha no terceiro andar e dá risadas escandalosas. 
Numa tarde quando ela sai para levar uma carta da Sra. Fairfax, um viajante passa por ela e cai com o cavalo a poucos metros, ela o ajuda sem saber que aquele é seu patrão, o Sr. Rochester e o cão Pilot. Jane a principio o acha estranho e nem um pouco bonito, mas com a convivência ela passa a admirar-lhe e logo se vê apaixonada, o mesmo ocorre com o amo. Mas ela acredita que o Sr. Rochester irá desposar a bela Srta. Ingram, até mesmo a Sra. Fairfax acha que eles irão se casar. Jane quase não acredita quando ele diz que a quer como esposa, e quando a união está prestes a ser selada um grande segredo vem a tona, um segredo que muda a vida de Jane grandemente.
Me vi envolvida com a vida de Jane, a principio fiquei com receio de não gostar da obra devido a minha experiência com Emily Brontë, e O Morro dos Ventos Uivantes, mas me surpreendi. A narrativa é fluida e elegante. É impossível não ansiar pelos novos acontecimentos, e a trama dá tantas reviravoltas que não dá pra ficar cansada.
A trama sólida não dá ênfase apenas em Jane, mas em todos que ela conhece, até mesmo as visitas do Sr. Rochester. Os personagens tem o perfil delineado, sempre retratados de forma meticulosa.
Poderia ficar aqui relatando tudo que li, mas acredito que já mencionei até o eu não deveria. Fiquei tão apaixonada por Jane Eyre que toda hora me lembro da personagem forte e guerreira que ela é, apesar de tudo que lhe acontecia ela conseguia dar a volta por cima e se erguer. Jane é um exemplo de mulher!
Quero comprar o livro físico o quanto antes. Vou ver o filme e trago a resenha dele para vocês também.

Recomendo o livro, mesmo que você não tenha gostado do livro de Emily leia este, apesar de serem irmãs as obras delas são diferentes. Agora pretendo procurar um livro de Anne Brontë.

Caixinha do Correio #13 [Bienal do Livro 2013]

28 setembro 2013
Olá leitores!
Vocês viram como foi a minha ida a bienal e junto a ela, muitos livros bons e comprinhas e vou dividi-los com vocês.

Comprei o livro do Nicholas Sparks com o intuito de autografar mas como não foi possível. E além disso comprei esse da Kristin Hannah, mesma autora de Jardim de Inverno.

As Irmãs Brontë

25 setembro 2013

Olá people!
Tudo bem com vocês?
Ao ler Nada é Para Sempre, Sarah citava muito o livro Jane Eyre. Fiquei muito curiosa, achei que fosse alguma autora que eu, leiga, não conhecia. Então fui pesquisar e descobri que é na verdade uma obra de Charlotte Brontë. Eu sabia que a queridinha Emily Brontë tinha irmãs, mas nunca havia parado para ler algo a respeito. Resolvi trazer essas informações para vocês!

Filhas de Maria Branwell e Patrick Brontë - um pároco de aldeia - e criadas numa região rural da província de Yorkshire na Inglaterra. Eles tiveram seis filhos, porém Maria e Elizabeth vieram a falecer devido as condições do internato em que foram mandadas.
Os irmãos (Anne, Emily, Charlotte e Branwell) criavam terras imaginárias em suas brincadeiras que aparecem nas histórias que eles escreveram, Charlotte e Branwell escreveram histórias byronianas sobre o país que tinham inventado, e Emily junto de Anne escreviam artigos e poemas sobre Gondal, o país que também tinham inventado. Quando Charlotte descobriu os poemas de Emily quis publicá-los junto com os seus e os de Anne, publicaram em uma pequena editora em 1846 com a herança da Tia Branwell e foram vendidos apenas dois exemplares. As irmãs não desanimaram e começaram a escrever sua narrativa.
Charlotte foi a primeira a publicar Jane Eyre, sob o pseudônimo de Currer Bell. Foi professora em Roe Head colégio onde estudou, e também governanta na casa de famílias do Yorkshere. Ensinou inglês num internato em Bruxelas onde apaixonou-se por Constantin Heger, dono do internato casado com Claire Zoé Parent Heger. Após voltar para casa usou partes da sua experiência no internato para escrever duas de suas obras. Casou-se com Arthur Bell Nicholls, o coadjutor do pai e ficou grávida pouco depois do casamento. Além de Jane Eyre escreveu: O Professor, Villette, Shirley, O Feitiço, e a novela “The Green Dwarf” com o pseudônimo de Wellesley.
Jane Eyre publicado inicialmente sob o pseudônimo masculino Currer Bell tornou-se um dos romances mais lidos da literatura universal, vencendo em reedições de autores mais prestigiados da época. Tendo duas versões cinematográficas, uma inglesa e uma americana além de uma grande superprodução da televisão BBC inglesa. O romance também inspirou o inicio de um movimento feminista na literatura.
Não gostávamos da ideia de chamar atenção, por isso escondemos nossos nomes por detrás dos de Currer, Ellis e Acton Bell. [...] Tínhamos a vaga impressão de que as escritoras são por vezes olhadas com preconceito e tínhamos reparado como os críticos por vezes as castigam com a arma da personalidade e as recompensam com lisonjas que, na verdade, não são elogios.disse Charlotte.
Emily Brontë é a irmã do meio, escritora e poetisa britânica famosa pela obra O Morro dos Ventos Uivantes, atualmente considerado um clássico da literatura mundial. Escrevia sob o pseudônimo masculino Ellis Bell. Sua obra foi publicada quando Jane Eyre já estava na segunda edição, e o livro foi mal compreendido na época, devido ao clima tenso na história. Era tímida e introvertida e passava a maior parte do tempo em casa sozinha já que os irmãos estavam no colégio, tentou ser professora em Haworth, mas sua timidez a impediu. Foi professora de música em Bruxelas onde Charlotte também lecionou, porém a tia veio a falecer e ambas voltaram para casa, a irmã voltou com um posto de professora no internato, mas Emily não. Ela morreu aos trinta anos em 1848 com tuberculose, no mesmo ano morreu o rimão Branwell com bronquite crônica devido ao abuso de álcool.
Amo o chão que ele pisa, o ar que respira, tudo quanto toca e tudo quanto diz. Amo todos os seus olhares e todos os seus gestos, amo-o todo inteiro, completamente. É ele que me mantém viva. Se tudo mais o perecesse e ele ficasse, eu continuaria, mesmo assim, a existir, e se tudo mais ficasse e ele fosse aniquilado, o universo se tornaria para mim uma vastidão desconhecida, a que eu não teria sensação de pertencer. - Cathy, O Morro dos Ventos Uivantes.

Anne Brontë a mais nova das três irmãs, poetisa e romancista britânica usava o pseudônimo Acton Bell. Morreu aos 29 anos e legou as obras: A Moradora de Wildfell Hall, Agnes Grey e A Preceptora.
Todas elas morreram de tuberculose muito cedo, sendo Charlotte e o pai os únicos sobreviventes da família, está morreu com o filho que esperava aos 38 anos com a mesma causa das irmãs.

Essas irmãs eram muito talentosas, eu li apenas O Morro dos Ventos Uinvantes e confesso a vocês que o livro e o filme (o mais recente) não me agradaram, porém vocês não devem considerar apenas a minha opinião, afinal são muitos os leitores deste romance e são muitos os fãs. Peguei Jane Eyre para ler, logo mais terá resenha por aqui.

Vocês conheciam a história delas? Já leram algum dos livros citados, ou viram as adaptações? 

Novidades #43

22 setembro 2013

HELLO! Como vocês estão neste domingo lindo?
Hoje trago mais novidades \o/ e dessa vez é da Record, este mês os títulos estão ótimos estou em dúvida sobre quais anotar na listinha infinita, vamos conferir? 

 

[Selinho] Viajando na Leitura

20 setembro 2013

Hey, tudo bem com vocês?
Tem um tempo que não respondo tags ou selinhos, acabo esquecendo de responder. O selinho de hoje é bem simples e bem curtinho, espero que gostem, quem me indicou foi a Fran do blog Poesias, Prosas e Algo Mais, obrigada querida. Vamos ver?
 

Legend, por Marie Lu

18 setembro 2013

LegendLegend #1, por Marie Lu
Prumo, 256 páginas
A Verdade Se Tornará Lenda - Ambientado na cidade de Los Angeles em 2130 D.C., na atual República da América, conta a história de um rapaz – o criminoso mais procurado do país – e de uma jovem – a pupila mais promissora da República –, cujos caminhos se cruzam quando o irmão desta é assassinado e a ela cabe a tarefa de capturar o responsável pelo crime. No entanto, a verdade que os dois desvendarão se tornará uma lenda. O que outrora foi o oeste dos Estados Unidos é agora o lar da República, uma nação eternamente em guerra com seus vizinhos.

Depois de ver tantas resenhas desse livro fiquei me perguntando qual seria o seu diferencial e o que teria agradado tanto os leitores.
Day tem quinze anos, sua família mora no Lake uma área pobre de Los Angeles que está muito afetada por vírus, mas ele não mora mais com eles. Day reprovou na prova da República e isso o fez se afastar de sua mãe, seu irmão mais velho John e o mais novo Éden. Ele comete pequenos delitos para ajudar em casa com comidas, remédios e roupas, mas seus atos tem consequências, Day é considerado o delinquente mais procurado da República, não que ele seja perigoso, mas ninguém sabe quem ele é. Quando as patrulhas marcam sua casa com um X vermelho ele sabe que tem de fazer algo, e não vai ser fácil, Day traça um plano arriscado para conseguir a cura para o pequeno Éden, ele invade o hospital, mas não há nenhum frasco da cura e durante a fuga ele se depara com o Capitão Metias Iparis para poder não ser atingido ele lança sua faca nele.
Do outro lado de Los Angeles está June Iparis, esta vive num mundo completamente diferente do de Day. Ela é um prodígio, a única a ter atingindo a nota máxima de 1500 pontos na prova e agora com apenas quinze anos ela está perto de já ter um cargo. Mais cedo seu irmão Metias a buscou na faculdade porque ela havia sido suspensa, mas ela não esperava receber a notícia de que ele havia morrido por Thomas. Desnorteada, June não consegue pensar em nada ao ver o corpo do irmão. A única certeza que ela tem é que precisa pegar o culpado, e vingar a vida do irmão com uma vida, e o principal suspeito pelo assassinato é Day.
June recebe sua primeira missão da Comandante Jameson, ela terá a chance de mostrar suas habilidades e se tiver êxito na busca por Day um cargo lhe será entregue. Thomas, amigo de Metias e dela a ajuda e logo June está nunca difícil caçada. Enquanto isso Day está sob os olhos de Tess a órfã que lhe faz companhia.
Devo dizer que me surpreendi. A narrativa é tão dinâmica que em poucas horas já havia devorado boa parte do livro, apesar de ser uma distopia me vi poucas vezes confusa. Marie nos apresenta um futuro maltratado, onde as pessoas devem agir por conta própria, onde as ruas são as casas de muitos e as lixeiras o prato de comida dos menos afortunados.
Vemos uma família a beira da miséria e um filho desesperado para garantir o melhor que consegue para manter a todos saudáveis. Um rapaz destratado e bondoso que apesar das surras levadas consegue agir com o coração, ele é apenas um garoto, mas com atitudes e responsabilidades de um homem. O amor de Day por Tess é como de um irmão para irmã, é tão bonita a atenção e cuidado que eles tem um para com o outro. Tess a garotinha frágil é muito mais forte do que aparenta, ela mostrou-se uma pessoa amável e guerreira, que apesar das condições ruins conseguia ver um lado positivo e crer nele.
Com as poucas passagens do passado lembradas por Day temos uma pequena amostra de seus familiares, Éden é um amável e feliz garotinho de apenas nove anos, logo ele será submetido a prova e o que seu irmão teme é que ele seja reprovado, porque ele sabe muito bem o que acontece aos reprovados. Já John também tem responsabilidades de um pai de família, ele conta com Day para manter a casa e toma conta de sua mãe.
June é uma garota bastante desafiadora, ela tem um pequeno fascínio pelo delinquente Day e quer provar que consegue fazer as mesmas coisas que ele. Tem medo de ficar só já que é órfã dos pais, e tem como companheiro seu irmão e o cão Ollie.
No início fiquei com raiva de June porque ela era uma garota feliz que tinha tudo sem precisar fazer muito esforço e estava atrás do pobre e infeliz Day, mas vemos que não há um errado, ambos tem os seus motivos e apesar de ter boa condição, June também tem suas perdas e tristezas.
Este livro me fez lembra o Sob o céu do nunca, vi pequenas semelhanças com a garota rica e o garoto pobre, seus universos diferentes que se interligam, e todos os mistérios que rodeavam os dois. A história é lacônica, porém não senti falta de nenhum detalhe, apesar do livro ser curto e a trama se desenvolver rapidamente não há pontas soltas ou mal elaboradas. 
Legend é um livro maduro que fala de família e de injustiças infligidas pela república; drama, mentiras e amor fazem parte do conjunto de uma forma que nos deixa curiosos. Para quem gosta do gênero, vale a pena conferir.

Legend #1
Prodigy #2
Champion #3

Novidades #42

15 setembro 2013

Oi VIAJANTES, tudo bem com vocês?
Primeiramente gostaria de pedir desculpas pela escassez de postagens no blog, ando muito ocupada, estudando muito e sem muito tempo. Minha leitura anda arrastada e minha criatividade deve ter ido dar uma volta de 360°. Mas estou tentando deixar o blog atualizado o máximo que posso, só não quero que fiquem pensando que ele está abandonado. 
Hoje a Ana iria postar os livros que adquiriu na Bienal, mas ela teve alguns problemas com o blogger e por isso vamos seguir com os lançamentos do mês.
Trago hoje as novidades da Novo Século, eu particularmente estou querendo todos os livros; confira e entenda!

 
A GAROTA DAS CICATRIZES DE FOGO, por Ricardo Ragazzo (NOVO SÉCULO) – Quatro anos após o desaparecimento da filha e a misteriosa morte da esposa, Johnny Falco recebe uma pista que pode ajudá-lo a desvendar o caso. Um homem aparece morto com as mesmas características inexplicáveis de sua mulher: O CORPO NÃO PASSA DE UM ESQUELETO COM PELE. Seis anos após ter 80% do seu corpo queimado em um atentado, Lisa Gomez acorda em um hospital com uma incontestável diferença: TODAS AS CICATRIZES DE SEU CORPO DESAPARECERAM! E quando o destino dos dois se cruzarem na pequena cidade de Valparaíso, ambos descobrirão que as tragédias que cercam suas vidas estão muito mais interligadas do que poderiam imaginar.
QUEM SOU EU, AFINAL?, por Ricardo Valverde (NOVO SÉCULO) O que você faria para descobrir seu passado? E se ele estivesse sendo esquecido? Após doar seu sêmen pela última vez, Daniel Lebzinski, um senhor envolto em tristeza e amargura, tenta retornar a sua casa, mas é surpreendido pelo esquecimento. O que parecia ser apenas um fato isolado transforma-se em uma série de eventos repetitivos. Com o auxílio de Judith Stelar, enfermeira e amiga de longa data, o doador de sêmen é diagnosticado com o Mal de Alzheimer e passa a lutar contra essa terrível doença. Benjamim, um jovem doce e sonhador, está prestes a descobrir o amor pela primeira vez com Laila, sua namorada, quando se depara com um antigo exame, que irá mudar a trajetória de toda a sua vida. Ao descobrir que seu pai é estéril, o jovem parte em busca de sua verdadeira origem. Elad Raviv, um marido distante e ausente, se vê frente a frente com os mais profundos abismos de seu coração e parte em uma árdua jornada à procura de uma razão para viver. O que essas três histórias podem ter em comum? Quem são eles, afinal?  Por qual razão a vida os colocou no mesmo caminho?

O PRÍNCIPE GATO – E A FLOR-CADÁVER , por Bento de Luca (NOVO SÉCULO) Concluída sua missão com a Ampulheta do Tempo, o Príncipe Gato é enviado de volta a Marshmallow. Empenhado em reparar os erros cometidos na cinzenta cidade de São Paulo, o felino mergulhará em uma lenda: a Flor-Cadáver. Misteriosos acontecimentos alarmam os marshmallianos; vilarejos vêm sendo atacados e o medo que ronda uma possível disputa entre Feiticeiros e Falcões-Peregrinos paira no ar. Todos se preparam para uma gigantesca batalha. Rivalidades antigas, romance, magia e disputas pelo poder estão presentes neste segundo volume, com uma pincelada de humor característica dos autores.

UMA HERANÇA DE AMOR – O PLANO PERFEITO , por Lycia Barros (NOVO SÉCULO) Como caçula da família, Ivy sempre foi superprotegida pelos pais e pelos irmãos.Com isso, passou a infância e a adolescência se sentindo sufocada e deixando que outras pessoas tomassem as decisões mais importantes de sua vida. Porém, aos dezoito anos, tentando romper este ciclo,  Ivy muda-se para Ouro Preto para realizar o grande sonho de sua vida: cursar a faculdade de jornalismo para poder trabalhar e ser independente o mais rápido possível. No entanto, a sua trajetória na faculdade dura pouco tempo pois, ao visitar os pais em sua cidade natal - São Lourenço - ela se depara com um misterioso visitante: Leonardo Belford. O homem que irá virar a cabeça da família Cavalheiro - e principalmente a de Ivy - de cabeça para baixo. Afinal, ele estava ali com uma dolorosa missão a cumprir, e não pretendia ir embora até que tudo estivesse consumado.


As capas novas dos livros da Lycia são lindas, mas as anteriores também eram, já vi ótima resenhas dos livros, alguém já leu? E o livro do Bento? Gostaram das novidades, me digam abaixo.
Boa semana para vocês :)

Bienal do Livro 2013 [Parte 2]

12 setembro 2013

Olá a todos vocês, leitores!
Trago com todo carinho o meu dia 1 na Bienal...
Bora conferir?

Nada é Para Sempre, por Ali Cronin

09 setembro 2013

Nada é Para SempreGarota <3 Garoto #1, por Ali Cronin
Seguinte, 272 páginas (parceria)
Cass é a namorada fiel. Ashley não leva nada a sério. Donna é festeira. E Sarah? As amigas sempre enchem o saco dela por ser careta demais, mas a garota só está esperando pelo cara certo – e agora tem certeza de que o encontrou. Será que ele sente a mesma coisa? Ou tudo não passa de uma paixão de verão? Acompanhe o emocionante último ano na escola de quatro garotas e três garotos.

Estava com saudade de ler uma trama leve e engraçada com adolescentes.
Sarah teve sua primeira vez quando esteve de férias na Espanha com a família, um garoto lindo e três anos mais velho, Joe. Agora de volta a Brighton tudo o que ela consegue falar é dele e de como ele é maravilhoso, como foi perfeito... Sarah se apaixonou. E para os amigos ouvir falar de Joe estava se tornando repetitivo e cansativo. E apesar de Ashley, Donna e Cass serem suas melhores amigas, elas estavam brigando por verem sua amiga cega de amores. Os meninos, Rich, Jack e Ollie preferiam ficar por fora da situação, mas era impossível não notar a mudança na atmosfera, as meninas estavam tratando Sarah com indiferença. Somente Ollie se mantinha firme ao lado de Sarah, ouvindo suas lamurias e lhe aconselhando como um bom amigo faz.
A narrativa é ágil e logo estamos a par de tudo. Sarah conheceu Joe na praia quando uma bola a atingiu, ela que sempre ouvia as amigas falarem de suas experiências sexuais tinha a sua para poder contar e não pôde conter-se queria falar dele, queria manter suas lembranças vivas já que ele morava em Londres e era complicado se virem pessoalmente. Mas sempre tem um porém, e nessa história são os amigos dela. Não que as meninas não estivessem feliz por Sarah, no início a sua euforia contagiou a todos, e o porém estava o tempo todo na cara de Sarah. Seria apenas um romance de verão, ou ela estava se iludindo? Era isso que as meninas queriam que ela visse.
Eu não sabia se sentia raiva ou pena de Sarah, sério, porque as pessoas se dignam a ficar numa relação onde todos os fatos apontam que a mesma não vai dar certo? Mas eu via o lado dela, ela esperou o cara certo, sentiu que foi especial, seu coração logo havia ganhado um dono, e por mais que seus amigos falassem queria acreditar assim que Joe sentia o mesmo por ela.
Joe se mostrou ser ótimo quando lhe apetecia, ele era carinhoso com Sarah, mas ao mesmo tempo distante e muito, muito egoísta.
As meninas não poderiam ser mais amigas do que eram, Cass era a mais calma como ela namorava Adam não entrava muito em detalhes e apesar do pessoal não gostar do namorado dela eles o respeitavam mesmo sabendo que Cass agia como um cachorrinho adestrado perto dele. Já Donna queria sempre ser o centro das atenções, falando coisas para que os amigos lhe aplaudissem, mas não de uma forma ruim era somente o jeito dela. Ashley tinha uma facilidade de falar coisas que também deixavam a amiga um pouco de cara, e a lista de coisas para se fazer antes de morrer é realmente inusitada.
Dos meninos eu amei todos, tanto Rich e Jack com aquele jeito espontâneo e o Ollie que cai de amores com toda a atenção dedicada a Sarah, eu realmente torci para que ficassem juntos porque Ollie era um cara e tanto, muito melhor do que Joe, pena que (para variar) ela não via isso.
E ainda tem a nojenta da Mimi, amiga de Joe, senti tanto asco dela que quando aparecia o nome dela eu ficava torcendo pra que alguma coisa trágica acontecesse a ela. Essa “amiga” de Joe tinha uma facilidade de deixar Sarah, irritada e insegura e isso é tudo que uma adolescente apaixonada não precisa.
O final não foi uma surpresa, mas também me deixou triste. Comprovando algo que eu já esperava. Aguardo ansiosa para quem o Dizem por aí me surpreenda mais e que minha opinião quanto a Sarah mude.

Leitura fácil e fluida, para quem gosta de livros teen recomendo, já que Ali aborda exatamente os dramas adolescentes da virgindade, amores, futuro e amizades. Eu me apaixonei por todos eles, já estou com saudades!

Nada é Para Sempre #1
Dizem Por Aí #2
Três é Demais #3
Lições de Amor #4
A Garota Certa #5
Eu e Você #6

Novidades #41

08 setembro 2013

Oi VIAJANTES !!
Setembro já começou, o que eu adorei porque não vejo a hora desse ano acabar, mas também porque este é um mês lindo. Ver as ruas mais coloridas me deixa muito feliz, e apesar dos dias por aqui estarem hiper, mega frios eu ainda consigo sorrir quando vejo uma árvore com flores rosas, laranjadas, brancas e outras cores que andam enfeitando a capital. Mas também estou besta com os lançamentos que tenho visto. Preparados para o que vem esse mês? Separei os títulos da Arqueiro e Sextante para hoje, confira.

 

Azul é Para Pesadelos, por Laurie Faria Stolarz

05 setembro 2013

Azul é Para Pesadelos, por Laurie Faria Stolarz
Bonobo Teen, 288 páginas
Eu conheço o seu segredo... O primeiro ano de Stacey no colégio interno não está sendo fácil. Ela não é a garota mais popular do colégio, nem a mais inteligente, sequer a mais bonita. Está apaixonada pelo namorado de sua melhor amiga, e tem um segredo que ameaça arruinar de vez suas amizades. De repente, ela começa a ter pesadelos novamente.

Vi esse livro primeiramente em um grupo de livros, ele não havia sido publicado ainda, então num dia estava precisando comprar mais um livro para completar uma compra e ele estava super em conta.
Stacey Brow está tendo pesadelos novamente, ela já passou por isso e sabe que não é um bom sinal. Anos atrás a garotinha que ela tomava conta desapareceu e quando foi encontrada estava morta, a garota fora assassinada e antes do acontecido ela havia sonhado com ela. Dessa vez os pesadelos são com Drea, sua colega de quarto e grande amiga, ela não sabe o que está para acontecer, mas sabe que vai estar usando o seu tênis amarelo por isso ela o evita. Por mais que ela use a magia, por mais que recite os feitiços, acenda as velas e use outros ingredientes ela não consegue descobrir nada. O pior não são os pesadelos, mas o que eles causam, Stacey esta molhando a cama todos os dias e tem de encobrir os seus rastros para não virar uma chacota entre as amigas.
Stacey tenta ajudar Drea com o auxilio de Amber uma garota que não é nada discreta e está sempre dando algumas patadas em seu ex PJ, este é um garoto muito engraçado que vive pintando o cabelo para chamar a atenção de Amber. Chad também integra esse grupo, ele é ex de Drea, o relacionamento deles é inconsistente, mas ela não pensa em deixá-lo, tenta até lhe fazer ciúmes agarrando Donavan algumas vezes na frente dele. Stacey não diz nada, mas ela nutre uma paixonite por Chad e eles possuem um segredo, Stacey e Chad se beijaram.
Porém no momento Stacey tem que focar nos seus pesadelos para tentar descobrir quem é que está ligando para Drea e lhe enviando a flor da morte, lírios. Mas fica cada vez mais difícil, há muitos suspeitos e poucas certezas. E fica ainda mais confuso quando Veronica, sua inimiga, diz que também está recebendo telefonemas ameaçadores.
Este é um livro de leitura rápida, apesar dos personagens serem adolescentes em momento algum eles são irritantes. Stacey traz esse diferencial ao mexer com magia, sempre que ela ia recitar ou preparar alguma coisa eu ficava me perguntando o que ela ia usar e sempre me surpreendia, uns ingredientes muitos estranhos. Ela também é uma grande amiga, mesmo gostando de Chad ela respeita Drea e deixa o seu sentimento um pouco de lado, o que é difícil quando ele fica entrando pela janela do quarto ou aparecendo em seus sonhos.
Drea até que me irritou um pouquinho com seus joguinhos com Chad. Amber me tirava muitas risadas, eu nunca vi uma pessoa tão sem noção desse jeito bastante desligada de obrigações e sempre falando o que não se espera, o PJ também não deve bater muito bem da cabeça. Já Chad eu me apaixonei, como todo bom mocinho ele é atencioso e carinhoso, aquele tipo de pessoa que está sempre tentando ajudar mesmo que não esteja ao seu alcance.
Todo o mistério de quem seria o louco do telefone nos prende, são tantos suspeitos que dá raiva pensar que pode ser fulano ou ciclano, a autora conseguiu me confundir bastante. Só fui imaginar quem era quando ele estava perto de ser revelado.
Outros personagens também são levemente abordados, mas quem mais me chamou atenção foi a detetive (que esqueci o nome agora), fiquei fula com ela quando não começou a duvidar da pobre Stacey, mas claro quem iria creditar uma pessoa que diz ter visões em sonhos?

A narrativa é em primeira pessoa toda narrada por Stacey, mas não é cansativa nem repetitiva, a diagramação é simples. Apesar de ter continuação, o livro tem uma conclusão no final o que me faz não ter muita curiosidade para continuar a leitura. Para quem está procurando uma leitura leve, divertida e ágil, recomendo.

Bienal do Livro 2013 [Parte 1]

03 setembro 2013
Olá, queridos leitores!
Hoje estou aqui para dividir com vocês todas as minhas experiências nessa doce bienal.
Farei três posts, um sobre o que vi e minhas impressões e outra sobre as editoras mais famosas. Vamos começar?
Dia 31 de agosto

Tentativa de Encontro com Nicholas Sparks

Eu queria muito ver o Nicholas Sparks, vim me preparando durante esse ano para isso, acordei cedo e estava no portão da bienal antes das sete da manha. Estava repleta de esperanças e encontrei pessoas que também estavam assim inclusive a blogueira Brenda, do Catavento das Ideias. Em meio a papos, o portão da bienal se abre as nove da manha e segundo o informado, seria mantido a ordem que já tinha. Por alguma razão abriram os portões e começou a correria, e como era de se esperar deu gente se machucando, gente empurrando e bagunça geral. E as filas começaram a se formar, a Bienal só abre as dez no fim de semana. Eu estava na fila bonitinha e organizada, mas resolvi ir para mais perto da porta ver se conseguia alguma coisa.
O tempo passou e ficamos negociando para ver se o porta da Bienal abrir mais cedo, até que a porta do lado esquerdo é destruída e a do meio aberta, e eu fui uma das pessoas que ajudou a puxar a porta do meio, com isso fui esmagada e machuquei o pulso.
Eu corri, em meio a gritos e esbarrões e cheguei a fila para senha, eu sabia que tinha chance mas infelizmente eu não posso controlar a falta de educação das pessoas, então muita gente furou fila e não consegui.
Fiquei arrasada!!!Nicholas Sparks é um dos meus autores favoritos e eu gostaria demais de vê-lo.
Sai da fila chorando, e acabei indo comer algo e dar uma voltinha na bienal, quando a voz, que ninguém entende, soa, NICHOLAS SPARKS DARIA UMA SEGUNDA CHANCE!!!!!!
Corri demais, passei cinco horas na fila, com sede, fome, calor, dor insuportável na perna... Para o pior acontecer....
Eu sabia que tinha muita gente furando fila e eu não podia fazer nada...Mas quando eu estava muito perto de conseguir o autografo, em frente ao portão, o Nicholas foi embora...
Eu fiquei muito magoada, porque eu sabia que poderia conseguir se as pessoas tivessem educação e se tivesse organização. Quis chorar, xingar, bular leis, mas sabia que antes de qualquer coisa vem a minha ética, então aceitei e continuei.
Estou chateada com o ocorrido mas para aqueles que tem fé, Deus sabe de todas as coisas...

Fila dentro da Bienal para esperar o Nicholas Sparks

Autografo Emily Giffin

No meio da bagunça do Nicholas, meu irmão pegou uma senha para ver essa autora que já havia lido e curtido o livro, embora não amado. A verdade é que fui pela Nita, do blog Falando sobre Livros, então eu consegui vê-la rapidinho já que a Editora Novo Conceito estava super organizada, então eu a vi, conversamos, ela autografou meu livro, mantendo sempre o sorriso e a simpatia.
Eu e a fofa Emily Giffin
O meu autografo




























Encontro de blogueiras da Novo Conceito

O encontro de blogueiras se mostrou na verdade uma festa, mas valeu super a pena porque conheci e conversei com algumas blogueiras que seguia, então foi bem legal, mas infelizmente não tenho foto...

Autografo com Marina Carvalho

O livro da Marina é um livro que to desejando a algum tempo, mas sempre adiei, até que a vi no stand da editora autografando e conversando. Falei com ela e tirei foto, acabei comprando o livro e autografei o meu livro.
Ela é um doce e super simpática, adorei conhecê-la.
Eu e a Marina Carvalho

Meu autografo





























E acabei indo embora da bienal até porque fui no domingo, mas isso é assunto de outro post...
Aguardo vocês para os próximos post!
Perguntas?

Domingo é dia de filme: Os Croods

01 setembro 2013

No dia 22 de março de 2013 chegou ao Brasil mais uma animação sobre o comando da DreamWorks (produtora de Madagascar), Direção de Kirk DeMicco e Chris Sanders. O filme produzido não tinha o intuito de levantar muito dinheiro ou consagrar os diretos, a ideia do estúdio era de manter o nome da empresa no mercado. Em relação a essa ideia, na primeira semana de estreia do filme o valor arrecadado foi maior do que o esperado. Parte desse súbito sucesso é dada pelo elenco de dubladores (no original), o enredo diferente da estória e a qualidade gráfica da animação.


Os Croods com uma proposta de enredo diferente das animações atuais mostram uma família na época da pré-história e todas as dificuldades, vontades e medo que existiam. A família é constituída pelo pai Grug, a mãe Ugga, o filho Thunk, a filha Eep, a Sandy e a vovó. Todos moravam em uma caverna devido ao medo do pai do mundo exterior, medo esse que era reforçado devido ao desaparecimento dos vizinhos. Todos os moradores da caverna ao amanhecer lutavam bravamente pelo seu café da manhã, visto que deviam caçar e sobreviver à caçada. Quando o sol começava a se por todos da família deveriam correr desesperadamente para entrar e se sentirem protegidos dentro da caverna.